Fechar
Cerveja Achel Trappist Blond - 330ml
Cerveja Achel Trappist Blond - 330ml

Especificações

Pais de origemBélgica
FabricanteTrappistenabdij de Achelse Kluis
Graduacao alcoolica8%
Temperaturade 5 a 7º C
Estilo da cervejaBelgian Blond Ale
Copo IdealCálice
Grupo da cervejaBelgian Strong Ale

Descrições

Experiencia degustativaA Achel Blond possui uma coloração dourado, com excelente formação de espuma e ótima retenção desta. É uma cerveja translúcida, entretanto, pode haver maior turvação caso na hora serviço não se tome os devidos cuidados para não misturar os depósitos de leveduras compactadas no fundo da garrafa. O inconfúndível esterificado nos remete a frutas tropicais como banana e manga. Uma boa nota de pão é a soma dos aromas do malte e fermento. Uma nota discreta fenólica (cravo) e condimentada (mel) também podem ser percebidas. Existe ainda uma nota floral bem discreta atribuída ao lúpulo. A primeira impressão que surge é de um amargor firme. Tão logo percebemos o dulçor, o resultado é “briga entre estas sensações”, ora tendendo a amargo, ora a doce. No final o amargor prevalece de forma persistente, seguido de um retrogosto frutado delicioso. Possui um corpo médio com ótima carbonatação e bom aquecimento alcoólico.
Descricao do estiloO trapista, refere-se a ordem eclesiástica que possui uma rigorosa doutrina que rege suas ações perante a comunidade que a cerca. Ao todo, são 17 mosteiros associados à ordem, sendo que 9 deles complementam suas atividades com a produção de cervejas. A Blond Ale é recente e foi adaptada em resposta as cervejas pilsners, que desde sua criação em 1842, vinha tomando o mercado europeu. A cervejaria belga nesta ocasião foi abalada e quase extinta, justo pela súbita preferência ao produto lager, leve e de aparência dourada. Este estilo de cerveja especial apresenta bebidas complexas e perfumadas, cremosas, com perceptível presença de malte, lúpulo e álcool em harmonia.
HarmonizacaoUma ótima harmonização com esta belga trapista, está em associa-la aos alimentos que contenham gordura e untuosidade, pois de certa forma aproveitamos os atributos de amargor, potência alcoólica e carbonatação, a fim de estabelecer um corte. Já na área dos queijos, inevitavelmente os de casca lavada como Pont-l'évêque e Saint Paulin. Com os pratos mais complexos, uma boa harmonização está nas aves de caça como a codorna. Existe um preparo clássico em que ao “bardear”, ou seja envolver um alimento em uma fatia de toucinho para que adquira sabor, a codorna com bacon, a “lardearmos”, técnica usada para rechear, com paté de fígado. Esta associação é potente e assertiva, principalmente quando acompanhamos com uma batata dauphinoise e demi glace (de preferência feito com a própria cerveja).

Experiência degustativa

Harmonização

Descrição do estilo

teste

Quem comprou, comprou também

Quem viu, viu também